Decorar360

Posted on

A casa fluída

supersalone | Milão 2021 | por Camila Gino*

 

Renascer, um sentimento muito presente no Supersalone, ancorando a Milan Design Week, em uma edição histórica do Salone del Mobile.Milano que demarcou movimentos importantes nas configurações dos novos modos de morar, hoje e no futuro.

 

A casa respira, se adapta e se modifica de acordo com os desejos, necessidades e dinâmica de vida de seus moradores. A casa intrínseca à vida. O abrigo que acolhe, estimula, convida, conta histórias, desperta lembranças, sentimentos, sensações e emoções. A casa afetiva. A casa corrente, fluente de vida. A corajosa edição especial do Salone del Mobile.Milano, o Supersalone, realizado entre 5 e 10 de setembro nos pavilhões de Rho, em Milão, captou todo o universo em transformação em relação ao habitar dos espaços privados, residenciais ou corporativos, aos públicos.

 

Entrou para a história como um ponto de virada, demarcando o momento de reabertura na Europa e no mundo das agendas e circuitos de exposições presenciais em design e interiores,  trazendo insights fundamentais para as novas configurações do morar, com uma leitura do espaço, sua vivência e utilização em plena evolução com o advento e os desafios impostos pela pandemia de covid-19. Vida é uma ideia presente em todo o Supersalone e, também, nos eventos Fuorisalone, realizados até o dia 19 de setembro, constituindo o vasto universo cultural, artístico e inspiracional da Milan Design Week. 

 

O Supersalone, edição especial do Salone del Mobile.Milano que já entrou para a história, reagindo à pandemia e trazendo a vida e o design, foi marcado conceitualmente por referências à natureza, em uma imersão que chega à nossa origem primitiva, como ancestralidade. A humanidade vence e perdura. Mensagem presente sob variadas perspectivas nesta edição.

 

A exposição conseguiu driblar a pandemia e atrair, com toda a segurança, em torno de 60 mil visitantes, que conferiram as novidades de mais de 400 expositores.

 

A busca pela autenticidade é um importante conceito para o morar destacado no Supersalone, um marco que identifica as transformações para o morar após o advento da pandemia, assim como a absorção irreversível das premissas da sustentabilidade no design e na produção do mobiliário e peças de decoração, já intrínseca à concepção, dentro dos preceitos da economia circular. Um design afetivo, tecnológico porém biológico, com características fortes da biofilia, dos elementos naturais, do resgate da memória e do savoir-faire artesanal, combinado com a melhor tecnologia produtiva, é outro input criativo muito relevante. Mais um insight está na força criativa dos novos pólos que surgem no panorama do design mundial, como o Brasil, que teve na MDW21 a maior participação em número de empresas e marcas expositoras, conforme divulgações oficiais. O mundo nos inspira, e esta edição do Supersalone mostrou como esta troca é importante. O Brasil, por outro lado, se consagra como fonte de inspiração e referência universal. 

 

O primor da alta tecnologia industrial em simbiose com o cuidado e a personalização do trabalho artesanal, com sustentabilidade e inovação formal, material e conceitual. Luz, sonho, espaço e tempo – presente, passado e futuro, narrativas materializadas no móvel, no design. Estes são conceitos-chaves, mostrados no Supersalone e na Milan Design Week, para um admirável mundo que se descortina, e já se aplica, no morar e na relação humana com o espaço.

 

Espaços fluídos, com diversas proposições funcionais e referenciais de espaço e uso do ambiente. Este é um tema-chave para o morar, captado com muita visão por Stefano Boeri na criação da disruptiva cozinha Oasi, para a Aran Cucine, com carvalho primitivo emoldurando o tampo tecnologicamente esculpido em corian. O limoeiro ao centro traz mais que a natureza, a vida em sua plenitude para a vida corrente no lar. (Foto: Divulgação)

 

A naturalidade da madeira como um valor do design, apreciado globalmente. A marca brasileira Sier estreou como expositora do Salone del Mobile.Milano no Supersalone, mostrando a escultural Poltrona Carol, projetada pelo Studio Sier, tendo direção criativa do consagrado designer brasileiro Carlos Reis. Trabalhada em madeira, a poltrona Carol tem design elegante e anatômico, que valoriza, por meio de processos acurados de produção, detalhes sutis como o suave e confortável apoio para os punhos. O acabamento de cada peça é realizado manualmente. Madeira disponível em seis acabamentos: damasco, castanho, carvalho, nogal, ártico e ébano. (Foto: Valter Lombello)

 

O morar como experiência sensorial. Um embarque no universo do design por Molteni & C no Supersalone, com instalação de Ron Gilad. Inovação, criatividade, intercâmbio cultural, experiências digitais são conceitos que se firmam, colocando o evento presencial como um promotor de imagens do design e um lugar de encontro e novas oportunidades para refletir sobre este universo e conhecer suas novas luzes. A poltrona redonda D.154.5, projetada por Gio Ponti em 1954 e reeditada pela Molteni & C, brilhou na instalação Flight D.154.5. O nome do modelo vem da forma arredondada do assento, com linhas modernas, mesmo “espaciais”. (Foto: Divulgação)

 

(Re)new Together, o tema central da Arper no Supersalone e MDW21, investiga novas formas de encontro e compartilhamento de espaços, depois do distanciamento imposto pela pandemia. E também o compromisso com processos voltados à reciclagem e ao reuso, com foco na economia circular. A marca apresentou sua coleção 2020-2021, além da reedição de clássicos como duas novas opções de tecido Rubelli para a poltrona Bowl Chair (1951) da designer ítalo-brasileira Lina Bo Bardi, que ganhou a exposição especial “Lina Bo Bardi Together” no showroom da Arper. (Foto: slowphoto.studio)

 

“Live the Transition”, com este tema a Natuzzi apresentou sua nova coleção, com projetos acolhedores e valorizando o bem-estar, de nomes como Formafantasma, Massimo Iosa Ghini, Elena Salmistaro, Marcel Wanders studio. Na foto, projetos de Sabine Marcelis, o sofá Block e mesa de centro Patio, criados para um novo espaço doméstico, em configuração, “que é líquido e em constante mudança”. (Foto: Divulgação)

 

A presença física da leveza: “modernidade líquida”, já modernidade etérea. Um belíssimo ensaio sobre a leveza e a precisão formal em projetos que trazem fortes elementos de inovação e sustentabilidade, como os lançamentos da Moroso, em seu geométrico poema de formas e ar “Secret Cubic Shelves”, por Olafur Eliasson, sublinhado no Supersalone pela organicidade linear das poltronas Ruff, provocante ensaio sobre o espaço por Patricia Urquiola. (Foto: Leonardo Duggento)

 

Design tecnológico, humano, biológico. Inovação com a Artemide, que apresentou o Sistema INTEGRALIS®️, combinando eficácia sanitizante a alto desempenho em iluminação, com projeto de Ernesto Gismondi: o sistema ainda se integra aos diversos ambientes e momentos da vida, interpretando os ritmos e as necessidades humanas. (Foto: Gastel)

 

A ideia da casa mudou radicalmente com a pandemia, tanto estilística quanto funcionalmente, e exige uma nova linguagem expressiva. Este foi o mote da Kartell para trazer lançamentos assinados por grandes nomes do design, tanto trabalhados em madeira quanto em plástico reciclado. A Kartell concebe a futura casa como um sonho, pronta para se transformar na própria realidade de cada morador por meio de uma leitura contemporânea do design. A questão da sustentabilidade reflete seu importante salto: a reciclagem, o reuso de materiais, o deslocamento de funções que prolonga a vida útil de produtos e materiais transpassa o ponto da sugestão ou da opção para estar em definitivo intrínseca à criação. Está por exemplo em lançamentos da Kartell, como a Re-Chair, por Antonio Citterio, a Poltrona Charla, por Patricia Urquiola, e a família A.I., com o A.I. STOOL RECYCLED, por Philippe Starck, todos produtos feitos com plástico reciclado. (Foto: Divulgação)

 

Nosso novo e admirável mundo é, precisa ser, sustentável. A sustentabilidade no desenvolvimento de produto deixou de ser um ensaio para o futuro para participar, de forma definitiva, de nosso cotidiano. Ela é anterior ao móvel e a sua produção, está lá no início, em sua concepção, observando os preceitos da economia circular. Uma peça emblemática deste novo estágio no Supersalone é a cama estofada Yume, sonho em japonês, projetada por Gordon Guillaumier para Alf Da Fré, que comemoru seus 70 anos no evento. A peça, de formas particularmente distintas, é feita com materiais recicláveis. Como defende esta bela marca que surgiu da tradição artesanal: “o futuro do design de produto é verde”. (Foto: Divulgação)

 

Uma marca brasileira que brilhou em Milão foi a Modalle, que apresentou no Supersalone a brasilidade envolvente e global de peças como a Poltrona Caplin, por Mauricio Bonfim, da Cadeira Lunna, por Ibanez Razzera, e da Luminária Jericoacora, por Marta Manente. (Foto: Camila Gino)

 

A madeira que ascende com todo o seu protagonismo. No cadeira Ridley, da Bentley Home, a madeira curvada do encosto é um ponto central para atribuir formas leves, aerodinâmicas e ergonômicas à peça, com seu refinado formato em “S”, único. (Foto: Diego Ravier)

 

Com uma coleção irreparável, plena de design afetivo e primor técnico, a brasileira A Lot Of apresentou a coleção “Rendas brasileiras”, assinada por Pedro Franco, que explorou o artesanato, como a renda tecida, para fazer um contraponto à excessiva industrialização do mundo contemporâneo e imprimir seu principal elemento de trabalho: a brasilidade mas traduzida no modo industrial. Na foto, cadeira Flá, com encosto trabalhado em renda artesanal mergulhada em banho de bronze. (Foto: Marco Antonio)

 

 

 

 

 

 

#myheartbeatsfornature. Em uma bela instalação no Supersalone, ancorando eventos Fuorisalone, a Slide apresentou peças irreverentes, divertidas e sustentáveis, como a mesa auxiliar Ambrogio, assinada pelo escritório Favaretto&Partners, feito com um novo tipo de material plástico, desenvolvido pela empresa, denominado EcoAllene. Trata-se de um material 100% reciclado, o que dá uma segunda vida ao plástico presente nas caixas Tetrapack. Na definição da Slide: “Ambrogio é a combinação perfeita entre design de quadrinhos e produto sério, mas também é ético: queremos criar um design sustentável para as pessoas e para o meio ambiente, graças a um caminho vívido de economia circular”. (Foto: Divulgação)

 

O Supersalone foi marcado conceitualmente por referências à natureza, em uma imersão que chega ao ancestral, à nossa origem primitiva como ancestralidade. A humanidade vence e perdura. Mensagem presente sob variados perspectivas nesta edição, como na marcante exposição da Flou, que trouxe sua nova coleção envolvida pela beleza e fluência da natureza, em peças como a escultural poltrona Flora, com design de Ilenia Viscardi, remetendo às pétalas de flor. “Repensar o produto e o design de interiores em função de uma nova harmonia e verdadeira comunhão com o ambiente que nos rodeia”, esta é a proposta da marca, que sintetiza uma premissa de nossa nova era. A nova coleção Flou nasce de uma exploração cuidadosa do mundo natural, da busca contínua por formas, materiais, acabamentos e texturas. (Foto: Divulgação)

 

Design para durar, para evocar a memória, para trazer poesia, emoção e afeto. Esta é a proposta da Flexform no Supersalone e MDW 2021. A maior parte das peças usadas na coleção outdoor Lee pode ser reciclada. Projetada por Antonio Citterio, a coleção tem a estrutura feita totalmente da madeira africana conhecida como iroko, a Milicia excelsa. As peças são produzidas utilizando tradicionais métodos artesanais, valorizando as características da madeira e sua durabilidade, propondo um produto que poderá durar toda uma vida. Assento e encosto são tramados em polipropileno tecido a mão, em uma sofisticada paleta de cores. As peças estão disponíveis com almofadas opcionais. (Foto: Divulgação)

 

Sustentabilidade da vida. Com uma obra de arte conceitual evocativa no Supersalone, uma grande e luminosa instalação da natureza, a Gessi propôs mostrar sua essência mais profunda: a missão de colocar o ser humano no centro de seu sistema filosófico e de produto, “com o compromisso de melhorar a vida de quem descobre o mundo Gessi”, objetivo a ser alcançado, mais além de através de sistemas inovadores, por meio de um sistema de valores éticos baseado no bem-estar individual.  A linha outdoor da marca concebe a ducha externa como “uma extensão da paisagem e uma sublimaçãode seus elementos”. (Foto: Divulgação)

 

Sistemas visualmente leves, versáteis, funcionais e, atingindo o estado da arte em bem-estar e autenticidade, a customização tailor made. Esta é uma proposta da Porro, em propostas como Storage, o sistema de armários abrangente e multifacetado projetado no ano 2000 por Piero Lissoni e que passou por uma grande evolução estética e funcional. Tal evolução foi destacada no Supersalone com a bela instalação “The Electric Box ”, assinada por Lissoni, que é diretor de arte de Porro desde 1989, e inspirada no charme da Casa Elettrica de Figini’s e Pollini na Trienal de Monza de 1930: uma caixa transparente iluminada, uma escultura abstrata à primeira vista, que em um olhar mais atento se transforma em um móvel arquitetônico multifuncional graças a um estilo conceitual que aponta para as suas utilizações possíveis, ora como armário, ora como estante ou melhor, como móvel de cozinha. O sistema, que teve várias atualizações ao longo dos anos, passou por uma extrema revolução estrutural em 2021, realçando a percepção de extrema leveza. (Foto: Divulgação)

 

*A jornalista viajou a convite da organização do Salone del Mobile.Milano.

 

fotos | Divulgação

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.
*
*